ARS Centro divulga avaliação do Projecto PÃO.COME 

Desenhado em Setembro de 2006 pelo Departamento de Saúde Pública e Planeamento (Programa Regional de Qualidade e Segurança Alimentar) na sequência de um projecto concelhio desenvolvido em 2005 no âmbito do internato complementar de saúde pública em Carregal do Sal, distrito de Viseu, este projecto de intervenção comunitária inclui cerca de 800 padarias da Região Centro abrangendo, na actualidade, quase 80% dos 78 concelhos desta região.

A sua finalidade é o controlo das doenças cardiovasculares, atendendo à associação do consumo excessivo de sal com estas doenças que são uma das principais causas de mortalidade no nosso País e na Região Centro. De acordo com este instituto público, o consumo de sal no nosso País é o dobro do recomendado pela OMS.

O projecto pão.come, que tem pretende atingir em 2010 a meta de redução de 50% do teor de sal adicionado ao pão, insere-se numa estratégia concertada da ARS do Centro, IP de promoção da alimentação e estilos de vida saudáveis que incidirá, em breve, sobre outro tipo de alimentos de grande consumo e importância alimentar e nutricional como a sopa.

A ARS do Centro, IP, vem agora revelar dados preliminares referentes a avaliação intercalar de Novembro de 2008 do projecto pão.come implementado desde Janeiro de 2007 na Região Centro, traduzidos pela redução de mais de 30% do sal adicionado ao pão confeccionado nas padarias aderentes ao projecto (correspondentes a cerca de 80% das padarias estimadas na Região Centro).

Para tal, a ARSC utiliza a sua capacidade instalada em recursos humanos (cerca de 150 profissionais de saúde pública, desde médicos especialistas, a técnicos de saúde ambiental e técnicos de laboratório) e materiais (rede de laboratórios de saúde pública da Região de Saúde do Centro indispensável à monitorização analítica do projecto), contando com as parcerias da Associação de Comércio e Indústria da Panificação, Pastelaria e Similares (ACIP) e da Fundação Portuguesa de Cardiologia.

Considerando a nova área de influência da ARS do Centro, IP ao abrigo do decreto-lei nº 222/2007 de 29 de Maio, o âmbito populacional desta intervenção corresponde a mais de 70% dos seus 1,7 milhões de habitantes.

 

- Descrição do Projecto (332 KB)