Plano de Contingência para as Temperaturas Extremas 

O Plano de Contingência para as Temperaturas Extremas Adversas (PCTE) é um plano da Direção-Geral da Saúde que sucede, no que diz respeito ao seu módulo Calor, ao Plano  de Contingência para as Ondas de Calor implementado desde 2004. 
A  finalidade do PCTE consiste em minimizar os efeitos na saúde decorrentes de temperaturas extremas (calor e frio). Desta forma, o PCTE inclui dois "módulos": calor (em vigência de 15 de maio a 30 de setembro) e frio (em vigência no outono e inverno).
Na Região Centro, a sua operacionalização, execução e avaliação são da responsabilidade da Administração Regional de Saúde do Centro IP (ARSC), através do seu Departamento de Saúde Pública e Planeamento. A nível local/municipal, cabe às unidades de saúde pública (serviços operativos de saúde pública de âmbito local) a sua operacionalização, execução e avaliação, em articulação com as unidades de saúde de cuidados primários e diferenciados e com os parceiros relevantes (nomeadamente câmaras municipais, proteção civil, instituições de apoio social, orgãos de comunicação social, etc.).
Tendo em consideração a relevância da comunicação do risco enquanto estratégia custo-efetiva de gestão do risco associado às temperaturas extremas, a ARSC disponibiliza material destinado aos profissionais de saúde, público em geral e públicos específicos (comunicação social).

 

Documentos Calor:


Para mais informações, contactar o Grupo Coordenador Regional do Plano de Contingência para as Temperaturas Extremas/Departamento de Saúde Pública da ARS do Centro, I.P. através do endereço de correio electrónico saudepublica@arscentro.min-saude.pt.