Programa Regional de Rastreio do Cancro do Cólon e Recto  
Numa sessão presidida pela Ministra da Saúde, Ana Jorge, e que contou ainda com a presença do coordenador nacional para as Doenças Oncológicas, Pedro Pimentel, a ARSC divulgou o seu Programa Regional de Rastreio do Cancro do Cólon e do Recto. Este programa já se encontra a decorrer, em fase piloto, em 4 centros de saúde da região centro - Viseu 1, Viseu 3, Vila Nova de Paiva e  Lousã – e, até final de Fevereiro de 2009, estender-se-á a mais 27.
No total, serão 31 os centros de saúde da região integrados neste projecto piloto: 9 do distrito de Coimbra, 6 do distrito de Leiria e 16 do distrito de Viseu. Este programa de rastreio irá ser implementado, por fases, até 2019.
Tendo como destinatários alvo a população feminina e masculina, assintomática, com idade igual ou superior a 50 anos e igual ou inferior a 70 anos, inscrita nos Centros de Saúde da área da ARSC, o programa tem como objectivos fundamentais diminuir a mortalidade por cancro do cólon e recto, diminuir também a incidência do cancro invasivo, garantir diagnóstico e tratamento precoce das situações detectadas, atingir taxa de participação igual ou superior a 50% ao 5º ano de programa (2012) e monitorizar a qualidade do programa.
Este rastreio é baseado no teste de Pesquisa de Sangue Oculto nas Fezes (PSOF) bienal seguido de colonoscopia total nos casos positivos. A especificidade na detecção de cancro é alta, situando-se entre 90% e 98%. Assegurará a organização centrada nos Centros de Saúde através de um seguimento continuado pelo médico de família.
Durante a sua intervenção na sessão de apresentação do rastreio, o presidente da ARSC destacou o facto “da região Centro ter estado na vanguarda dos rastreios do cancro do colo do útero e do cancro da mama no nosso país desde 1990, o que permitiu o acumular de “evidência baseada na prática”, indispensável ao planeamento duma intervenção desta dimensão”. Para João Pedro Pimentel, o controlo do cancro é uma das prioridades do Plano de Saúde da Região Centro. “Com a cerimónia de hoje, inauguramos um novo marco nos cuidados de saúde da região Centro, disponibilizando às populações um serviço da maior relevância em saúde pública e dando, desta forma, cumprimento a um dos principais objectivos constantes do plano de acção desta administração regional de saúde do transacto triénio: o desenvolvimento dos rastreios regionais do cancro do cólon e recto, do cancro da mama e do cancro do colo do útero”, sublinhou o presidente da ARSC.